Super Homem

Exite uma pressão sutil, mas constante, para diminuirmos o estresse, para ganharmos qualidade de vida, vivermos a vida ao máximo. Temos que cuidar da saúde, cuidar melhor dos filhos, sermos socialmente responsáveis, participarmos de trabalhos voluntários, entre mil outras coisas. Ou seja, temos que ser super-homens, conciliar tudo. Sermos bons em tudo.

Foi-se o tempo em que os filhos ficavam satisfeitos se os pais conseguissem apenas pagar um bom colégio e tivessem um bom emprego para garantir o conforto da família. Agora os filhos cobram atenção, e não é pouca, exigem participação dos pais na sua vida, que sejam amigos, que sejam psicólogos prontos para entender as crises da adolescência.

Ao mesmo tempo, somos cobrados para sermos os maridos românticos e atenciosos, que nunca trocarão uma noite de trabalho no escritório por um jantar com a esposa ou um cinema ao final do dia. A mesma esposa que não quer mais um homem barrigudo e sedentário ao seu lado. Tem de fazer academia, tem de ser companheiro, sensível. Ironicamente, esta mesma mulher quer um profissional bem-sucedido que, no caso dela passar por uma crise financeira, possa segurar as pontas.

Entretanto, sucesso tem seu preço e dificilmente alguém que tem sucesso profissional trabalha somente 8 horas por dia.

Os mesmos filhos que querem cursar aulas de inglês, ir ao cinema com o dinheiro do papai, que querem dirigir o carro do papai para sair com a namorada, não compreendem que para isso o papai tem que trabalhar horas e horas depois do expediente, e justamente por isso quando chega em casa não tem paciência para agüentar crise de identidade de adolescente.

Esse equilíbrio que tanto nos é cobrado é extremamente difícil, pois nosso tempo não dilata, e para sermos muito bons em algo, precisamos nos dedicar mais que o normal. A verdade é que temos de aceitar o fato que em algumas coisas nunca nos sairemos bem. É fato que alguma coisa sempre deixaremos de lado, mesmo que à custa de nossa saúde, como quando optamos por trocar as horas na academia por horas de estudo ou trabalho.

Vivemos um outro tipo de pressão, desta vez para sermos super-gerentes de nosso tempo, de nossa vida, para administrar os diversos papéis que temos. O problema é que somente uma parcela muito pequena de pessoas consegue fazer isso. É preciso um tipo de habilidade e competência que a grande maioria das pessoas não tem.

Esse equilíbrio que tanto se fala, em grande parte é balela. Simplesmente não dá. Principalmente quando temos grandes ambições em relação a algo. Para concretizar desejos, dedicamo-nos incansavelmente em busca do que queremos, e, inevitavelmente, em uma outra parte de nossa vida as coisas não andarão muito bem. Por isso relaxe, você nunca agradará a todos, e não conheço ninguém que consiga realmente equilibrar tudo. Já bastam as pressões normais, super-homem só existe na telinha do cinema.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: