Início » Gestão e Liderança » Sozinho ou acompanhado?

Sozinho ou acompanhado?

Um teste realizado pela NASA dos Estados Unidos consistia em fazer pessoas comuns tomarem decisões simulando viagens à Lua. Os problemas a serem resolvidos não consistiam de questões técnicas, mas do uso de um certo bom senso e conhecimento genérico sobre a Lua. As pessoas respondiam primeiro individualmente, depois em grupo. O resultado mostrou que as decisões tomadas pelo grupo eram mais acertadas do que as decisões tomadas individualmente.

Podemos concluir então que as decisões tomadas em grupo tendem a ser mais acertadas? Não. A NASA, logo depois, realizou mais um teste com pessoas que não eram astronautas, mas que tinham maior conhecimento sobre o assunto. Essas pessoas foram misturadas ao grupo anterior. O resultado foi inverso. As decisões desses indivíduos, isoladamente, foram melhores que as decisões do grupo.

Essa situação nos ilustra um dos dilemas da tomada de decisão na empresa: devemos tomar decisões sozinhos ou acompanhados? Até que ponto decisões compartilhadas tendem a ser mais eficazes?

A experiência, e a própria história dos negócios, mostra que decisões em grupo são melhores quando as pessoas têm um nível de conhecimento muito nivelado, em relação aos problemas a serem resolvidos. No entanto, se no grupo houver indivíduos mais capazes de analisar o problema, experiência e conhecimento, pode ser vencido pelo voto da maioria e a decisão sair errada.

Vemos este tipo de situação a todo o momento. Por exemplo, na Câmara Municipal, quando temos um terrível desnivelamento entre os vereadores. Em decisões de comitês, em que uma maioria despreparada vence a minoria esclarecida.

Tomar ou não uma decisão em grupo depende do conhecimento que se tem do problema e dos envolvidos na tomada de decisão. Pode ser que um único indivíduo consiga tomar uma decisão melhor que o grupo inteiro, porque tem mais competência para tal.

Hitler não era um grande estrategista, não ouvia os mais brilhantes entre seus generais e tomava as decisões sozinho. Por isso perdeu a guerra. Já Winstom Churchill, apesar de também tomar decisões sem consultar os outros, era mais brilhante estrategista que seus generais. Por isso venceu a guerra.

Em suma, se você não tem segurança e conhecimento necessário para tomar uma decisão sozinho, é importante escolher bem as pessoas que o asessoram, ou o grupo que decidirá a questão. Mas, não tome decisões em grupo quando notar que os membros não têm competência para tal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: